Tag Archives: Floripa

Salto alto sim!

31 ago

Recebi hoje e adorei – a novidade e os modelitos. Acho que voltei mesmo pra fase dos saltões. Rasteiras, me desculpem, vocês são o máximo, confortáveis e fofas, mas tenho que concordar com Fernando Pires (entrevista completa aqui):

“(O salto alto) É o melhor amigo da mulher. A Marilyn Monroe falava que eram os diamantes, mas é o salto, pois é mais democrático. Ele deixa a mulher se sentindo uma verdadeira deusa, e os homens amam! Ela muda o caminhar, a panturrilha fica mais bonita e as amigas morrem de inveja. É uma arma mesmo”.

Falou, tá falado Mr. Pires!

Pois foram saltos altíssimos, qualidade e bom gosto que me chamaram a atenção ao ver algumas fotos da coleção “Nouvelle Scène”, assinada por Alexandre Birman (estes e outros modelos vão poder ser encontrados a partir de setembro nas lojas Mix Urbano, em Floripa):

Alexandre Birman

FG_4909_0039

FG_4931_0007

Além dos mega-saltos, anabelas, sandálias meia-pata e peep toes se misturam a rasteirinhas com detalhes inusitados –  todos os sapatos vêm com solado e interior revestido com couro clarinho, além disso, a marca traz alguns modelos com solas de python – que dão ao calçado um detalhe que só quem entende e é apaixonado por um sapato de qualidade percebe.

Com dois anos de existência, a marca Alexandre Birman já se consagrou como uma das mais importantes labels de sapato, vestindo celebridades como Kate Hudson, Tallulah Willis, Leighton Meester e Courtney Cox, e veiculada em matérias ao lado dos mais importantes nomes da indústria mundial em revistas como Vogue America, Harpers Bazaar, Elle e Town & Country. E agora no Ateliê!

Atendimento nota zero, parte 2

24 mar

Se há algo que Floripa não tem do que se orgulhar no alto dos seus 283 anos completados ontem, esse algo é o atendimento ao cliente. Já falei sobre isso outras vezes, mas infelizmente, me vejo obrigada a repetir o assunto aqui. Bem que me avisaram: “Nem vai lá, o atendimento é péssimo, tá tudo muito atrapalhado e a equipe não tem preparo nenhum”. Mesmo assim, no último final de semana, resolvi conhecer a nova versão de bar/café/restaurante 24h reaberto neste mês no centro da cidade. 

Chegando lá, logo na porta, o maître despejou uma nada breve apresentação da casa, reforçando que “possuíam a mais completa carta de vinhos de Florianópolis, que tudo que quiséssemos beber eles tinham, assim como também ofereciam tudo que quiséssemos comer, e uma variedade imensa de sobremesas. Sem falar do atendimento: excelente”! Uau! 

Menos de meia hora depois de toda essa propaganda, tudo veio abaixo – em mim, aliás. Ao pegar o primeiro copo de chopp da noite, para tomar o último gole, tchanannn! O copo estourou na minha mão. Assim, do nada. Depois de sair da mesa, antes de chegar a minha boca. Espatifou, na minha mão. Foram alguns segundos tentando entender o que tinha acontecido. “Ok, não me cortei, minha mão tá ok, minha boca também. Não tem sangue aqui, mas meu vestido encharcou, ok ok, dos males o menor”.  

Chamei o garçom. Relatei o acidente. Com um risinho que ainda não conseguir decifrar, nem entender por que diabos estava no rosto dele, limpou a mesa e pegou os cacos. Saiu. “Ele não entendeu né? Ele acha que eu to bêbada e deixei o copo cair, é isso?”. Chama o garçom de novo. Volta com o mesmo risinho que não fazia sentido. Aí eu contei mais uma vez o que acabara de acontecer. Aí, bom, aí ele tentou justificar o injustificável. Foi trágico. “Olha, todos os copos são conferidos antes de serem usados. Você tá vendo que o cristal é muito fino e frágil, né? Qualquer esbarrão ele pode quebrar.” Uma amiga interrompe: “Moço, olha pra mão dela. Acha que ela conseguiria quebrar um copo com a mão?”. Continua a leréia, acompanhada do risinho maldito: “Não, veja bem… Não é isso. É que se o copo tivesse trincado, ele não chegaria até o final do chopp, certo? A casa cuida muito bem de seus objetos. Todos os copos foram conferidos, um a um”. Eu ali, molhada de chopp, incrédula com o tamanho da falta de noção: “Tá, então se vocês cuidam muito bem dos copos e tudo tem um excelente padrão de qualidade, você tá querendo dizer que fui eu a culpada, é isso?”. “Não, veja bem…”. Enfim… Ficou nisso por algum tempo. Não que a culpa fosse dele. Ou da casa. Ou minha. Às vezes copos estouram mesmo. Acontece. Então pelamordedeus, pede desculpa pro cliente, traz outro chopp e deu.  Não tenta defender o que não tem defesa e insinuar que a culpa é do cliente. 

Na saída, claro, chamei o maître. O mesmo da fala linda e maravilhosa sobre o melhor lugar do mundo que estávamos prestes a conhecer. Contei todo o desastre e reclamei do garçom que tentara me convencer que talvez, quem sabe, de repente, eu que tinha quebrado o copo. Ele fechou a porta do bar/café/restaurante 24h, ficou do lado de fora conosco e desabafou: “Olha, eu sou terceirizado aqui. Sou funcionário de uma empresa que presta serviço. Mas sinceramente? Não concordo com muita coisa que acontece aí dentro. Tudo errado. A começar pelo dono. E só tem puxa-saco dele trabalhando. Esse garçom que te atendeu devia ser mais um deles. Vocês me desculpem mesmo.”

Tá né…Se o dono do lugar é bom ou mau profissional, não sei. Mas sei que não adianta investir na infraestrutura, que realmente é muito legal, e não se importar com a equipe que vai trabalhar pra ele. E com os copos que serão usados.

Twestival

12 fev

Hoje rola o Twestival em 170 cidades do mundo. Floripa é uma delas. Além de promover maior integração entre os twitteiros (usuários do Twitter, que é tipo um microblog), o evento tem uma causa nobre: arrecadar R$ para a ONG charity: water, que leva água potável para países do 3º mundo.

Mais detalhes vocês encontram ali embaixo, no release oficial escrito pelo Ziggy (quem organizou o meeting por aqui) e divulgado voluntariamente pela Em Voga =)

Infelizmente esta blogueira e “twitteira” não poderá estar presente, já que foi cobrir a morte do Leão em Ibirama. Ops!

Encontro de “twitteiros” pelo mundo acontece também em Florianópolis

No dia 12 de fevereiro, Florianópolis vai fazer parte de uma mobilização mundial, o Twestival. O evento acontecerá em 170 cidades pelo mundo através de encontros locais com pessoas que utilizam o serviço de microblogging Twitter. Além da confraternização entre os usuários, a ação tem como objetivo arrecadar fundos para a ONG charity: water, que leva água potável para países do 3º mundo.

A ideia partiu de um grupo de amigos em Londres que realizou um evento semelhante em setembro de 2008. Satisfeitos com os resultados, resolveram ampliar o evento para o mundo inteiro. No Brasil, além de Florianópolis, participam São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e outras seis cidades.

A organização do evento na capital do estado é feita voluntariamente pelo publicitário Rafael Ziggy. “O legal do Twestival é poder conhecer outras pessoas, confraternizar e ainda ajudar milhares de pessoas pelo mundo”, diz. O evento será no dia 12 de fevereiro (hoje) a partir das 20h no Chopp do Gus (Córrego Grande) e serão aceitas apenas doações em dinheiro. Inscrições e maiores informações no site oficial do evento http://florianopolis.twestival.com

Sobre o Twitter

Criado em 2007, o Twitter é uma ferramenta de microblogging em que são colocadas rápidas mensagens de 140 caracteres. É uma forma não só de se comunicar, mas de se relacionar com outras pessoas que utilizam a ferramenta. Em pouco mais de um ano de vida, o serviço já acumula mais de 2 milhões de pessoas. Com mais de 230 mil seguidores, Barack Obama é o perfil com maior número de seguidores no mundo. No Brasil, Marcelo Tas (CQC) possui mais de 11.800 pessoas que acompanham suas “twittadas”.

HOJE TEM!

28 jan

 1232929764718_f

Da série “prestigiando os amigos” – tanto a assessoria de imprensa do evento (obrigada, Jésica!) quanto as atrações de hoje:

Aerocirco encerra programação dos pockets shows do Floripa Tem
Apontado pelos críticos como o novo olhar sobre o rock local*, o grupo se apresenta na embaixada do evento da Beira-Mar Norte na tarde desta quarta-feira

Amanhã  Hoje é dia de espetáculo na Beira-Mar Norte! Para encerrar os pocket shows do Floripa Tem, o Aerocirco promete embalar o pôr do sol da Ilha** com o seu rock de “Ser quem sou” e outros sucessos que seguem sempre este mesmo lema autêntico***. Mais uma vez, a abertura do som será por conta dos clássicos da playlist de Marcos Espíndola, com o melhor do falcatrue – “falcatrua sincera”, estilo criado pelo DJ e colunista do Diário Catarinense. A apresentação começa às 18h, na embaixada do evento da Beira-Mar Norte. 
Além de encerrar os shows no trapiche, os catarinenses do Aerocirco também abriram a programação do Floripa Tem Bandas da Ilha, na Célula Cultural, no início do mês, quando também lançaram o quarto CD do grupo. Um dos grandes destaques do seu repertório, a música “Como vai”, do primeiro álbum da banda, é tema do quadro Cena Mágica, do Fantástico****.
Para o curador musical do Floripa Tem, Gastão Moreira, eventos que estimulem bandas locais são fundamentais para o desenvolvimento cultural de Santa Catarina. “É muito bom ter um evento como o Floripa Tem trazendo bandas locais, valorizando o trabalho que as bandas daqui fazem”, explica o curador*****. 

(******)

Toda a programação do evento pode ser consultada no site www.floripatem.com.br.
 
Serviço:
O quê: Pocket show com Aerocirco e DJ Marcos Espíndola
Quando: 28/01, às 18h
Onde: Embaixada do Floripa Tem na Beira-Mar Norte, próximo ao trapiche
Quanto: gratuito

 

Notas da blogueira:
*hummmmmmmm
** tomara que não chova!
*** espero que desta vez role Incontrolável. Obrigada.
**** é verdade. Já escutei algumas muitas vezes.
***** sim, bandas já com um tempinho na estrada, com experiência, qualidade e tals. Ao contrário de umas meninas de 15 anos (16?) que aparecem de vez em quando e são endeuzadas por… Por que mesmo?!
****** parágrafo muito jabá Jé, perdoa, cortei. Hahahaha. Que legal estar do outro lado!

Fique Em Voga!

29 out

Já que este blog tá uma salada mesmo (e por enquanto os ingredientes principais são moda e política – os dois assuntos que dominam a minha vida hoje em dia), sem um foco muito claro e delimitado (se bem que o Ateliê é meu e faço dele o que quiser :P), resolvi também usá-lo como uma ferramenta de trabalho. Sério. Quero montar um “mailing cool” (VIPS mais legaisinhos e jovenzinhos e moderninhos) de Floripa e sei que todos vocês, leitores fiéis (pufff) se encaixam exatamente neste perfil (hmmm).

Portanto, se você quer ficar Em Voga, conhecer em primeira mão lançamentos de marcas beeem bacanas, ser convidado para os desfiles mais disputados, as festas mais legais, coquetéis mais agitados, rodadas de champanhe em plena segunda-feira e correr o risco de aparecer em uma ou outra coluna social no dia seguinte, deixe seu nome aqui embaixo ou mande um e-mail para clarissa@emvoga.com.br (com seu nome, endereço, telefone etc.).
É sério tá gente?! Tô atualizando meu mailing e queria contar com a colaboração de vocês. Não é nenhum sacrifício entrar no circuito badaladinho de Floripa, é?! Ah, bom!

De volta: tudo igual, tudo diferente.

27 out

Uma história, uma notícia, uma conclusão.

Uma história
Amiga minha, dona de peixaria, contou que dia desses recebeu uma cliente de São Paulo: perua, ricaça, porém super simples. Dessas que vêm visitar o marido empresário em Floripa de vez em sempre e que não precisam ser outdoor ambulante pra mostrar tudo que tem. Lá pelas tantas, entre um peixinho e outro, a tal madame fala: “Florianópolis é engraçada né. Nunca vi um lugar onde as pessoas ostentam tanto. O que não tem. É uma necessidade de aparecer, de mostrar o que não são de verdade. Pura aparência, mas nada original, nada de fato existe, é tudo superficial”. Com a sacola de peixes e depois do recado, volta pro carro, estacionado logo em frente, e vai embora.

Uma notícia
Dário Berger é reeleito prefeito de Florianópolis.
Candidato do PMDB teve 57,68% da preferência do eleitorado da Capital

A conclusão
É por conta de vocês. Nem vou repetir que cada povo tem o…que merece, tá?

P.S: Sim, agora estou de volta pra valer. Em Floripa, Em Voga, com Sol!